27/02/2018 às 13:02

21 anos de Palco Giratório no Acre: confira a programação 2018

Ambientado numa favela do Rio de Janeiro, “ELES NÃO USAM TÊNIS NAIQUE” é um dos espetáculos do Palco Giratório
Divulgação Ambientado numa favela do Rio de Janeiro, “ELES NÃO USAM TÊNIS NAIQUE” é um dos espetáculos do Palco Giratório

O Palco Giratório, circuito de artes cênicas do Sesc, completa 21 anos de existência e cai na estrada para a temporada 2018. De 24 de março até dezembro, o projeto deve visitar 146 cidades em 26 estados e no Distrito Federal, com espetáculos teatrais e intercâmbios artísticos.

Neste ano, o Palco Giratório contará com a participação de 21 companhias, que somarão 688 apresentações artísticas e 1.192 horas de oficinas teatrais. Em Rio Branco o Sesc preparou uma vasta programação para os amantes das artes cênicas, confira.

Espetáculo: Os cavaleiros da triste figura

Grupo teatral Boca de Cena (SE), apresentação dia 24 de março, no Calçadão do Novo Mercado Velho, às 18h30.

Sinopse

O espetáculo “Os cavaleiros da triste figura” é o resultado do encontro cênico do Grupo Boca de Cena e seus colaboradores, com a literatura de Miguel de Cervantes. Livremente inspirado em Dom Quixote de La Mancha, a história que pretende-se retratar, extrapola a literatura e se contamina por toda a realidade circundante, em forma de sonho (ou delírio).

Espetáculo: Desastro

Grupo Neto Machado (BA), apresentação dia 07 de julho, no Teatro Plácido de Castro, às 19h.

Sinopse

“Desastro” brinca com o futuro que fazemos existir nas artimanhas da imaginação capaz de transformar um quarto no universo sideral. “Desastro” tem na trilha sonora o ponto de partida e questão fundamental: versões de uma mesma música de David Bowie, “Space Oddity”, inspiram o roteiro e dão o tom do espetáculo que recria a aventura de Major Tom, da letra da canção, numa viagem para explorar o desconhecido.

Espetáculo: Eles não usam tênis Naique

Com a Cia. Marginal (RJ), apresentação  dia  21 de agosto, no Teatro Plácido de Castro, às 20h

Sinopse

Ambientado numa favela do Rio de Janeiro, “ELES NÃO USAM TÊNIS NAIQUE” narra o reencontro de um pai e uma filha que não se viam há muitos anos. Ele foi traficante nos anos 80, quando o comércio ilegal de drogas ainda mantinha um vínculo moral com a comunidade, ela é uma jovem traficante nos dias atuais.

Espetáculo: Dança Anfíbia

Com Cia. dos Pés (AL), apresentação dia 22 de setembro, na Usina de Artes João Donato,  às 20h.

Sinopse

Em Dança Anfíbia, tomamos como ponto de partida a metáfora lançada por Gilberto Freire de ser “a gente alagoana uma gente anfíbia”. Pensamos num ser anfíbio como aquele que, mais que sobreviver em um ambiente, cria condições de criação e se faz nesse ambiente, se reinventando em meio a processos adaptativos.

Espetáculo: Animo Festas 

Com a La Cascata Cia. Cômica (SP),  apresentação dia  30 de setembro, no Teatro Plácido de Castro, às 20h.

No freak-show Animo Festas, o universo do palhaço é personificado na sombria figura de Klaus, que narra suas memórias no “submundo” de festas infantis. Klaus sobrevive de performances em festas infantis e narra suas memórias no “submundo” desses eventos, ao som de rock, música francesa e trilhas infantis dos anos 1980.

Espetáculo: Fauna

Com o grupo Quatroloscinco – Teatro do Comum (MG), no dia 22 de outubro, no  teatro de Arena do Sesc, às 19h.

Sinopse

Baseado em sua experiência de 10 anos, o Quatroloscinco se propõe a compartilhar e discutir suas ideias sobre a prática de grupo como um espaço propício para a criação de uma micropolítica e uma ética própria.

Informações setor de Cultura do Sesc (68) 3302 1053