15/10/2015 às 11:55 - Atualizado em 02/02/2018 às 16:37

Fecomércio lança campanha contra a criação de novos impostos

O Sistema Fecomércio/Sesc/Senac lançará nesta semana a campanha #NãoaNovosImpostos contra aumento de impostos e a volta da CPMF (Contribuição Promissória Sobre Movimentação Financeira) incluídos no pacote fiscal do governo federal, agora sob análise do Congresso Nacional. O tema tem aterrorizado a sociedade brasileira por vários anos e agora toma força, em face da nova política Econômica do Governo que prevê Corte de Despesas e aumento da Carga Tributária para gerar o Superávit primário esperado pela União.

O presidente da Fecomércio/AC, Leandro Domingos, explica que a população brasileira não suporta pagar tanto imposto. “O que se paga de impostos no Brasil está acima da capacidade contributiva da população, ocasionando falta de poupança capaz de gerar o crescimento, tanto das pessoas quanto das empresas. Resultado: falta de investimento, baixa produção e produtividade, além de deixar insatisfeitos, todos os agentes envolvidos”, enfatizou o presidente.

De acordo com Domingos, outro fator que motivou a criação da campanha é a insatisfação geral é o mau uso dos recursos arrecadados pela União sob a forma de tributos. “Grandes obras são construídas desnecessariamente, apenas para atender a interesses políticos ou de grupos, despesas desnecessárias com a máquina pública federal se agigantam, sangrando os recursos que poderiam ser investidos em educação, saúde e na infraestrutura nacional capazes de dar base para o crescimento e desenvolvimento do setor produtivo nacional”, comenta.

Diante deste cenário, a Confederação Nacional do Comércio e a Fecomércio/AC, decidiram iniciar uma campanha contra a criação da CPMF ou quaisquer outras formas de aumento de impostos, já que o Brasil possui uma das mais elevadas cargas tributárias do mundo. “Sabe-se que é um trabalho difícil, demover as autoridades federais a ideia de criar mais impostos para o povo pagar, de modo que se pretende sensibilizar a população acreana a convencer seus representantes no Congresso Nacional a não votar a favor desta excrescência. O Brasil não precisa aumentar a carga tributária! Precisa sim, gerir com competência as verbas da União e combater fortemente a corrupção”, finalizou Domingos.