07/02/2020 às 13:54

Fecomércio/AC se reúne com empresários para discutir Convenção Coletiva 2020-2021

O evento buscou, principalmente, dialogar e procurar alternativas que sejam viáveis tanto para os empregadores quando para os funcionários e ocorreu na sede da entidade.
Fecomércio/AC O evento buscou, principalmente, dialogar e procurar alternativas que sejam viáveis tanto para os empregadores quando para os funcionários e ocorreu na sede da entidade.

Para discutir propostas da Convenção Coletiva para o biênio 2020-2021, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio/AC) realizou na noite de quinta-feira, 6, Assembleia Geral junto a empresários e representantes de empresas. O evento buscou, principalmente, dialogar e procurar alternativas que sejam viáveis tanto para os empregadores quando para os funcionários e ocorreu na sede da entidade.

De acordo com o vice-presidente da Fecomércio/AC, Marcos Lameira, uma das iniciativas da instituição é justamente conversar com empresários e representantes de empresas acerca da convenção.

“Nos preocupamos sempre em levar aos nossos representados a importância de se discutir alternativas que sejam interessantes para todas as partes: a Fecomércio/AC atua não apenas na representatividade dos empresários do comércio de bens, serviços e turismo, mas busca incentivar que os empresários  sejam sempre bem instruídos quanto às mudanças”, complementou Lameira.

O assessor jurídico da Fecomércio/AC, Luiz Antonio Pontes, reiterou a seriedade da assembleia e relembrou que, agora, a entidade deve se reunir com o Sindicato dos Empregados do Comércio no Estado do Acre (Sincoacre) para que, após a conversa, haja a plena assinatura da nova convenção.

Iniciativa importante

Para a empresária Odete Oliveira, procurar benefícios para todos é de suma relevância. “Eu aprovo a iniciativa da Fecomércio/AC em levar ao empresário o conhecimento por parte da convenção coletiva, tirando as dúvidas. Temos de procurar alternativas que sejam interessantes tanto para o empregador quanto para o empregado e, deste modo, todos saem ganhando”, explicou.

O assessor jurídico de uma rede de supermercados, Italo Rodrigues, confirmou a opinião de Oliveira. “Temos de aplaudir essa iniciativa, porque o conhecimento é o melhor em todas as situações”, finalizou.