06/06/2016 às 11:01 - Atualizado em 02/02/2018 às 16:39

Fecomércio/AC se reúne com Superindente da Suframa para discutir a situação das ALCs

O presidente da Federação de Bens, Serviços e Turismo do Acre (Fecomercio/AC) , Leandro Domingos, recebeu, nesta sexta-feira, 3, a superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), Rebecca Garcia. A reunião aconteceu no prédio da Fecomércio e contou com a participação de comerciantes das Áreas de Livre Comércio (ALCs).

As ALCs foram criadas com o objetivo de promover o desenvolvimento nos municípios fronteiriços internacionais localizados na Amazônia Ocidental, justamente com o intuito de integrá-los ao resto do País com  a garantia de benefícios fiscais semelhantes aos da Zona Franca de Manaus (ZFM) no que diz respeito aos incentivos do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS).

A intenção das ALCs são a melhoria na fiscalização de entrada e saída e o fortalecimento do setor comercial, além da abertura de novas empresas e geração de empregos. No Acre, são consideradas ALCs, conforme a Lei n06 8.857/1994 os municípios de Brasileia – com extensão a Epitaciolândia; e Cruzeiro do Sul.

Durante a conversa, Domingos e os empresários apresentaram à superintendente da Suframa, Rebecca Garcia, alguns dos principais problemas da categoria. Algumas das questões dizem respeito à logística das fiscalizações e, ainda, a possível formação de mais ALCs no Estado.

“Nós do comércio e a Suframa precisamos trabalhar unidos. Quem trabalha com bens de consumo, por exemplo, necessita de uma maior agilidade, tendo em vista que o produto pode estragar. Sempre contamos com uma atenção muito especial aqui no Estado, já que há uma sede em Rio Branco, mas sabemos que, nas regiões onde de fato estão as ALCs acreanas, ainda há muita precariedade. Inclusive, sabemos que há pouco contingente, o que dificulta o trabalho de quem vive naquela região”, reiterou Domingos.

O presidente lembrou, ainda, que, na recente greve promovida pelos funcionários da Suframa, houve uma conversa tão positiva que não poucos problemas quanto ao abastecimento foram retratados. “Estamos aqui principalmente para estreitar os laços e apontar nossas principais dificuldades. Apesar de tudo, ainda há alguns problemas: em Cruzeiro do Sul, por exemplo, a sede da Suframa fica no oposto da entrada da cidade, o que dificulta muito questões logísticas", relatou.

Domingos destacou, ainda, a necessidade em se dar mais atenção aos comerciantes das ALCs. "Entre outras questões, há a necessidade em trabalharmos em conjunto, já que comercializamos muitas vezes bens de consumo que acabam sendo prejudicados pela falta de contingente na Suframa nas regiões das ALCs e em Rio Branco mesmo", continuou.

Melhorias

A superintendente da Suframa relembrou que a instituição está presente no Acre, o que ajuda muito o trabalho realizado. Rebecca entendeu que, há sim, algumas questões que podem ser resolvidas com o tempo. “Admitimos, por exemplo, que há problemas, principalmente no número de contingente, o que acaba afetando o trabalho realizado. Nossa intenção, agora, é unir uma força política, termos um apoio político, para que nada seja diminuído ou prejudicado por conta da situação”, explicou.

Garcia achou importante estar presente na cidade e reiterou que a sede, em Manaus, tem noção dos problemas vivenciados. “E estamos aqui justamente para fazer de tudo para solucioná-los: ouvir de perto o que tem a dizer os comerciantes, em nome do presidente Leandro Domingos, e encontrarmos juntos melhorias para todos os problemas vivenciados pelos empresários”, finalizou.