01/08/2018 às 14:44

Movimento “Por Um Acre Mais Produtivo” entrega propostas a Marcus Alexandre

Intenção é que todos os candidatos recebam e avaliem as propostas feitas pelas entidades
Marcos Vicentti Intenção é que todos os candidatos recebam e avaliem as propostas feitas pelas entidades

O movimento “Por Um Acre Mais Produtivo” - composto pelas federações da Indústria (FIEAC), Comércio (Fecomércio), da Agricultura e Pecuária (FAEAC), Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Acre (Federacre) e a Associação Comercial do Alto Juruá, Industrial, de Serviço e Agrícola do Acre (Acisa) - entregou, na manhã desta quarta-feira, 1, propostas de desenvolvimento econômico ao candidato ao governo pela Frente Popular do Acre (FPA), Marcus Alexandre. O evento ocorreu na sede da Fecomércio/AC e reuniu empresários de vários setores.

Para a composição das pautas,houve reuniões com 270 empreendedores, além de 46 proposições virtuais e apoio de 46 instituições. Ainda segundo o movimento, entre os últimos dias 25 de junho e 15 de julho, houve discussões da proposta no Baixo Acre, Alto Acre, Purus, Envira e Juruá. A partir de agora, a ideia é firmar compromissos com os candidatos ao Governo.

O presidente da Fecomércio/AC, Leandro Domingos, afirmou que os envolvidos na elaboração do projeto se reuniram e observaram que muitas iniciativas são tomadas no Estado, mas não são desenvolvidas. “Por isso, elaboramos um documento técnico-científico que deve ajudar muito ao novo gestor do governo, já que traçamos diretrizes com bases técnicas e estudamos as expectativas do setor produtivo no Acre. Hoje é o primeiro encontro com o primeiro candidato, e entregaremos o documento a todos”, explicou.

Domingos acrescentou que a intenção é fazer com que o estado comece, de fato, a crescer economicamente. “A economia está voltando a caminhar agora, e aqui no Acre observamos que ainda não atende às nossas expectativas. Não podemos conviver em uma situação como essa por muito tempo”, reiterou.

A presidente em exercício da Fieac, Adelaide de Fátima, afirmou que empresários expuseram seus anseios aos dirigentes das entidades. “Vimos que nosso Estado precisa ser industrializado, com respeito a todo o seu potencial relacionado ao meio ambiente, mas trazendo o conhecimento dos empresários. O que queremos é juntar o nosso conhecimento aos dos candidatos, o que é algo que nós já fazíamos, mas de forma isolada, não enquanto movimento”, complementou.

O candidato ao governo Marcus Alexandre disse que a iniciativa é importante, principalmente quando se põe em questionamento a situação em que o País vive. “A união do setor produtivo provoca nos candidatos a necessidade de vir debater soluções para o Acre. Fico honrado em ter sido convidado; já estudei atentamente o trabalho feito pelas federações e acrescento que é uma grande contribuição aos candidatos que, de fato, estão comprometidos com o desenvolvimento acreano. Estou pronto para ouvir as ideias do setor produtivo”.

Empresários apoiam iniciativa

O empresário do ramo da construção civil, Marco Aurélio Gomes Nobre, afirmou que a iniciativa é favorável às empresas de forma geral. “Estamos falando de várias entidades que trabalham em prol de um único objetivo, e procuramos eleger pessoas com um perfil que possa nos representar. Já estamos sofrendo muito com a crise, e alguém que represente a nossa classe é um diferencial não apenas para nós, mas para toda a sociedade, visto que gera emprego e renda”.

O empresário Adem Araújo acrescentou que dificuldades são comuns em todos os segmentos, mas que acredita que seja o momento oportuno para entidades se reunirem e pudessem colaborar com o novo governo. “Ajudar no plano de governo e dar sugestões é algo essencial. Acredito que quem produz, comercializa ou industrializa tem muito mais experiência e sabe as necessidades de fato. Nada é diretamente para nós, empresários, mas para o Acre como um todo”, finalizou.