01/12/2015 às 18:52 - Atualizado em 02/02/2018 às 16:38

Segundo Fecomércio, 47% dos comerciantes acreanos estão otimistas quanto às vendas de Natal

Aproximadamente 47% dos comerciantes acreanos se mostram otimistas quanto ao período natalino, mas 53% entendem que a atual situação é de desconfiança, indiferença e decepção quanto ao desempenho das vendas natalinas. Os dados são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Acre (Fecomércio/AC), por meio de estudo realizado pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Acre (Ifepac). Para o levantamento, foram abordadas 245 empresas entre os últimos dias 18 e 25 de novembro.

O percentual de empresários otimistas está sete pontos abaixo do registrado em 2014, e 35 pontos a menos que o verificado no Natal de 2013. Segundo o estudo, 44% acreditam que haverá uma piora nas transações, quando comparado com o mesmo período de 2014.

No entanto, 15% esperam uma melhora nas vendas do Natal, quando comparado com o ano passado; e 38% afirmam que as vendas devem ser iguais. Outros 25% destacam, ainda, que o 13º salário deve ser o responsável por salvar as perdas comerciais de todo o ano.

Em relação à condição de gastos para o consumidor, 86% dos empresários avaliam os clientes como desestimulados, tendo em vista a falta de dinheiro e o endividamento. Além disso, a situação financeira ruim e a falta de ânimo para os gastos contribuiriam para este sentimento coletivo, de modo que apenas 13% dos empresários avaliam a conjuntura do cliente como satisfatória.

Estratégias de vendas

A pesquisa destacou, ainda, que 26% dos empresários devem trabalhar com descontos para atrair mais clientes em 2015; e outros 23% devem ter preços reduzidos. Além disso, 16% dos comerciantes afirmam que vão operar no período natalino com a modalidade de vendas para pagamentos parcelados sem juros e, 11%, com a concessão de prazos mais longos para vendas a crédito.

As roupas ainda devem ser os principais presentes para este Natal, segundo a avaliação de 38% dos entrevistados. Outros 23% acham que as vendas se concentrarão mais em calçados, seguidos de 14% em aparelhos celulares. A pesquisa destaca também que 13% dos empresários apostam mais nas compras de eletroeletrônicos; e 4%, no comércio de brinquedos.

Para 33% dos empresários, as vendas por cliente devem alcançar valor unitário médio de até R$ 100. Porém, 26% apostam em transações a valores entre R$ 100 R$ 200; e 23% em vendas por consumidor com valor entre R$200 e R$400.

Aquecimento comercial

Aproximadamente 50% dos empresários acreditam que as vendas devem estar mais aquecidas após o pagamento do 13º salário. Outros 34% afirmam que as comercializações devem aumentar ainda no início do mês de dezembro; e 11% destacam que as transações começam a ficar mais intensas logo no pagamento do salário do mês de novembro.

Ainda para 36% dos empresários, o movimento de vendas para o Natal deve ocorrer em todo o horário comercial. Porém, 21% acreditam em maior movimento no período da tarde, e outros 34% destacam o período da manhã (17%) e horário de almoço (17%) como o de maior movimento para as vendas de Natal 2015.