17/06/2016 às 10:49 - Atualizado em 02/02/2018 às 16:39

Sonora Brasil apresenta violas Brasileiras sábado e domingo no Sesc

A 19ª edição do Sonora Brasil apresenta, neste sábado, 18, e domingo,19, no Teatro de Arena do Sesc o espetáculo musical “Violas Brasileiras”. No primeiro dia, “Violas no Nordeste” e no segundo, “Violas em Concerto”. O espetáculo tem entrada franca.

As Violas Brasileiras são classificadas por singulares, caipiras, nordeste e em concerto. Para a programação em Rio Branco, os quatro foram incluídos na programação que traça um panorama da viola de cinco ordens e suas variantes que apresentam características peculiares e regionalizadas, relacionadas com práticas musicais restritas a ambientes geográficos pouco abrangentes.

Violas no Nordeste acontece hoje, às 19 horas no teatro de Arena.  A viola no Nordeste pode ser encontrada em sua forma mais tradicional, corriqueiramente na região Sudeste, mas também em variantes típicas da região, como a utilizada por repentistas, que possui um sistema acústico que melhora a projeção do som, e a machete, característica da região do Recôncavo Baiano.

Violas em Concerto acontece amanhã às 18 horas no teatro de Arena. O duo apresenta a viola no ambiente de concerto por meio de repertório que remonta ao período colonial brasileiro, anterior à consagração do violão como principal instrumento acompanhador na música, período em que a viola era uma das pontes musicais entre Europa e Brasil.

E chega aos dias atuais pelo repertório de compositores contemporâneos que representam uma importante fase da música brasileira em que a viola caipira, consagrada no meio rural, abre espaços nas salas de concerto e vira objeto de estudos no meio acadêmico chegando, inclusive, a se tornar curso de bacharelado.

Sonora Brasil

Reconhecido como o maior projeto de circulação musical do país, cumpre a missão de difundir o trabalho de artistas que se dedicam à construção de uma obra de fundamentação artística não comercial.

A formação de plateia é o que se busca por meio do contato do público com a qualidade e a diversidade da música, estimulando o olhar crítico sobre a produção e os mecanismos de difusão da música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical.